Os Principais Módulos SAP e seus Relacionamentos

Os Principais Módulos SAP e seus Relacionamentos

Quando um consultor inicia na carreia SAP, ele naturalmente sente dificuldade em escolher seu módulo principal de trabalho, então o mais comum de se acontecer é o mesmo ter como escolha um módulo que mais se aproxima  de sua experiência.

Se trabalhou com Finanças, provavelmente escolherá FI (Financials), se trabalhou com a área  de Vendas ou Faturamento, poderá escolher SD (Sales and Distribution), e assim por diante.

São tantas as nomenclaturas no mundo SAP que decidi escrever um breve resumo de como essas siglas (pelo menos as principais) se identificam em uma Empresa, e como elas se relacionam.

Para facilitar o entendimento, é interessante pensar em um Processo Core Business de uma Empresa. Pode-se dizer que este processo é o carro chefe da Empresa e sem ele, a mesma não sobrevive.

Nome do Processo: Reabastecimento de Matéria Prima para Produção de Produto Acabado

Abaixo, etapas do Fluxo do Processo e seus módulos:

  • Cadastro de Materiais – Indicação de Ponto de Reabastecimento (MM)
    • Como se trata de uma Matéria Prima Fundamental, é imprescindível deixar que o Sistema tome conta das quantidades em Estoque. Em outras palavras, quando o saldo em estoque atingir o Ponto de Reabastecimento, o Sistema automaticamente criará uma Requisição de Compras (conhecida como Necessidade)
  • Cadastro de Registro INFO (MM)
    • Para agilizar o Processo de Ciração de Pedido de Compras, dados importantes como: Preço, Código do Imposto, Incoterms, Condições de Pagamentos, etc poderão ficar armazenados no Registro Info, o qual é composto por: Fornecedor + Material + Planta + Organização de Compras
  • Cadastro de LOF – Lista de Opções de Fornecimento (MM)
    • Neste cadastro, é possível indicar o Fornecedor Preferencial ou Fixo de determinada Matéria Prima (ou outros Tipos de Materiais)
  • Rodada Automática diária de MRP (MM/PP)
    • Para não entrar em detalhes aqui, enteda o MRP como se fosse um robô que acorda cedo todos os dias e vai ao armazém checar os saldos de todos os materiais de uma Planta. Se algum deles estiver faltando (abaixo do Ponto de Reabastecimento), o robô se encarregará de criar uma Requisição de Compras ou uma Ordem Planejada para repor as quantidades faltantes
  • Geração de Necessidade – Requisição de Compras automática (MM)
    • É o resultado do trabalho do robô mencionado anteriormente, porém se houver LOF e Registro INFO devidamente cadastrados, o robô já se encarrega de indicar o Código do Fornecedor na Requisição de Compras
  • Criação Automática de Pedido de Compras (MM)
    • Só é possível se o material estiver marcado para criar Pedido de Compras automático, o mesmo é válido para o Fornecedor. Também é imprescindível que tenham sido cadastrados: LOF e Registro INFO. Ou seja, são vários pré-requisitos, mas se forem devidamente atendidos, um Pedido de Compras é criado de forma automática, agilizando todo o Processo de Comrpas
  • Recebimento de Mercadorias (MM)
    • O recebimento é feito pelo pessoal do armazém, que checará se as quantidades conferem com a Nota Fiscal e se os produtos estão em pefeitas condições (visuais)
  • Lançamentos Contábeis Automáticos – Atualização de Custo do Material (FI/CO)
    • Um Lançamento Contábil é feito entre Conta de Estoque e Conta Transitória de Recebimento
  • Inspeção de Qualidade do Material Recebido (QM)
    • Imprescindível, se o material for um químico por exemplo, há um plano de inspeção cadastrado para o mesmo, onde algumas etapas de verificação (geralmente efetuadas por laboratório) deverão ser cumpridas em uma amostra antes de liberar o material para uso / consumo
  • Armazegem de Material em Livre Utilização (QM /MM)
    • Se a amostra passa no Controlde Qualidade, então há uma Decisão de Utilização (DU) positica no caso, então o material sai do Estoque em Controle de Qualidade e passa para Utilização Livre. Em caso negativo, o material deverá ser devolvido ao Fornecedor
  • Recebimento de Nota Fiscal do Fornecedor (MM)
    • A área Fiscal deverá efetuar diversas verificações na Nota Fiscal, tais como: CNPJ do Fornecedor, se for uma NFe, checar se a mesma é válida, código NCM do material, alíquotas de IPI, ICMS, PIS e COFINS (se houver), Valor Total dos Produtos e da Nota Fiscal, CFOP (Natureza de Opeação da Nota Fiscal), o Sistema checará se o Valor da Nota confere com o Valor Negociado no Pedido de Compras, etc. Se todos os dados estiverem ok, a Nota é Processada e Recebida
  • Geração automática de Partidas em Aberto – Contas a Pagar (FI)
    • Um Lançamento Contábil é gerado automaticamente, entre Conta Transitória de Recebimento e Conta do Fornecedor (contas a Pagar)
  • Atualização Automática de Livros Fiscais (MM)
    • A Nota Fiscal processada é Registrada no Livro Fiscal de Entrada da Empresa (no próprio Sistema) e está disponível para consulta a qualquer momento. O Livro Fiscal é na verdade uma Cópia dos dados na Nota Fiscal
  • Apontamento de Produção – Produto Acabado é Produzido (PP)
    • Nota-se que até esta Etapa, trabalhou-se a aquisição da Matéria Prima, pois sem ela, não há Produção. Não sou expert em PP, mas creio que para o Processo Produtivo é imprescindível: Lista Técnica (Bill of Materials), Roteiro, Versão de Produção e Centro de Trabalho (exemplo, máquina em que o Produto é Produzido). No Processo Produtivo, pode-se apontar as Quantidades de Matéria Prima foram utilizadas, as horas homem e horas máquina utilizadas. Tais apontamentos complementam o Custo do Material Produzido (CO)
  • Consumo de Matéria Prima no Processo Produtivo (MM)
    • Conforme o Produto Acabado é produzido, a Matéria Prima é consumida contra uma Ordem de Produção, a qual funciona como um Coletor de Custos
  • Alocação de Custos da Matéria Prima no Produto Acabado (CO)
    • Também não sou um perito em CO, mas entendo que o Custo Total do Produto Acabado é composto por tudo que foi visto até aqui: Aquisição da Matéria Prima, Custo do Frete, Materiais Indiretos utilizados no Processo Produtivo (água, luz), Horas Homem Empregadas, Horas Máquinas empregadas, ou seja, o Sistema tem condições de controlar cada elemento utilizado no Processo Produtivo para determinação do Custo Total do Produto
  • Controle de Qualidade do Produto Acabado (QM)
    • Antes de vender o Produto, é imprescindível checar se o Lote Produzido se encontra nos padrões mínimos de Qualidade. Há também um Plano de Inspeção cadastrado para este material e Etapas de Veridicação. Se houver uma Decisão de Utilização positiva, então o material é liberado para Livre Utilização (no caso será uma venda)
  • Ordem de Venda do Produto Acabado (SD)
    • A área comercial geralmente fica ansiosa para encontrar Saldos em Estoque do Produto Acabado para atender o quanto antes seus Clientes. A Ordem de Venda é um Documento Comercial, que sela a venda dos Produtos
  • Picking e Delivery do Produto Acabado (SD)
    • O Produto é separado do Estoque passando para Espedição, onde ocorrerá o carregamento do caminhão
  • Emissão de Certificado de Controle de Qualidade do Produto Acabado (QM)
    • Antes de sair com a mercadoria, é importante emitir o Certificado de Qualidade do Produto, o qual acompanhará a Nota Fiscal até o Cliente Final
  • Emissão de Documento e Faturamento do Produto Acabado (SD)
    • O Documento de Faturamento é criado
  • Criação Automática de Partidas em Aberto – Contas a Receber (FI)
    • Um Lançamento  Contábil é Feito gerando as Partidas em Aberto (Contas a Receber)
  • Emissão de Nota Fiscal de Venda (SD)
    • Imediatamente, após a criação do Documento de Faturamento, é criada a Nota Fiscal de Saída / Venda
  • Atualização Automática de Livros Fiscais (SD)
    • A Nota Fiscal processada é Registrada no Livro Fiscal de Saída da Empresa (no próprio Sistema) e está disponível para consulta a qualquer momento. O Livro Fiscal é na verdade uma Cópia dos dados na Nota Fiscal
  • Análise de Custo x Lucro do Produto Acabado – (CO)
    • Nesta etapa, é possível efetuar a Análise Final do Custo do Produto e do Lucro obtido em função da Venda do Produto Acabado

Este foi um exemplo clássico de uma Cadeia de Abastecimento e Logística, passando pelos módulos mais importantes dentro de uma Empresa. Claro que há muitos outros módulos que aqui não foram citados, como WM, BI, PM entre outros, mas o objetivo aqui era realmente dar uma idéia aos iniciantes, de como os módulos se conversam entre si e mais ou menos em que sequência.

O Post abaixo mais recente exibe um vídeo contendo um fluxo parecido com este:

http://www.blog.natsolutions.com.br/?p=1769

Para finalizar, a Legenda:

  • MM – Materials Management (ou Melhor Módulo ! 🙂
  • FI – Financials
  • CO – Controlling
  • PP – Production Planning
  • QM – Quality Management
  • SD – Sales and Distribution

To my little sister.




%d blogueiros gostam disto: